Setembro Amarelo

Setembro amarelo: a campanha que salva vidas.

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP, em parceria com o Conselho Federal de Medicina – CFM,Setembro amarelo organiza nacionalmente o Setembro Amarelo. Entretanto, dia 10 de Setembro é considerado o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, porém a campanha acontece o ano todo.

O Setembro Amarelo é uma campanha que busca trazer o diálogo e prevenir o suicídio. Por exemplo, 90% dos suicídios poderia ser evitado com ajuda psicológica. Entretanto, a maioria deles pode ser tratada e muita gente nem sabe que precisa de tratamento. Aproximadamente 60% das pessoas que morrem por suicídio não buscam ajuda.

O objetivo deste mês é conscientizar as pessoas deste problema que tira tantas vidas todos os anos. O setembro amarelo é um mês de diálogo. Por isso, é um mês que busca criar conversas sobre o assunto. Portanto, precisamos deixar as pessoas que sofrem com pensamentos suicidas saberem que elas não estão sozinhas e que a morte não é solução.

Para saber mais sobre isto, clique aqui.

Mas, por que amarelo?

Em 1994, Mike Emme, de 17 anos, se matou. Ele era conhecido por sua personalidade caridosa e por sua habilidade mecânica. Restaurou um Mustang 68 e o pintou de amarelo. Mike amava aquele carro e por causa dele começou a ser conhecido como “Mustang Mike”.

Entretanto, infelizmente, aqueles próximos de Mike não viram os sinais e o fim da vida do garoto chegou. No dia do funeral dele, uma cesta de cartões com fitas amarelas presas a eles estava disponível para quem quisesse pegá-los. Os 500 cartões e fitas foram feitos pelos amigos de Mike e possuíam uma mensagem: Se você precisar, peça ajuda.

Assim, os pais de Mike, Dale Emme e Darlene Emme foram o início do programa de prevenção ao suicídio “fita amarela”, ou “Yellow Ribbon” em inglês.

Recursos e fontes de apoio

Para que possamos ajudar pessoas com pensamentos suicidas, os primeiras recursos ou fontes de apoio são:

  • Família.
  • Amigos e colegas.
  • Unidades de saúde: CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), Unidades de Saúde Família.
  • Clínicas, Consultórios psicológicos, Urgências psiquiátricas.
  • Médicos, psicólogos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem, agentes de saúde.
  • Centros de apoio emocional: CVV (Centro de Valorização da Vida), ligue para o 188.
  • Grupos de apoio.

Assim, grande maioria das mortes por suicídios podem ser evitadas. Para isto, diálogo sobre o assunto é o melhor jeito de fazer isso. Por fim, se você ou alguém que você conhece possui pensamentos suicidas, peça ajuda.

 

Clique aqui para falar conosco.