Benefícios da Dança

Importância da música

Os benefícios da dança vão além de movimentar o corpo. Além disso, foi uma das primeiras formas de expressão do homem. Linguagem gestual, sinais, expressões e ritmos são utilizados instintivamente como meio de interação e comunicação desde que o mundo é mundo. A dança acompanhou a evolução da civilização e com o passar do tempo foi ganhando mais visibilidade. Hoje sabemos que existem diversos tipo de danças, alguns estão relacionados às características regionais e outros ligados aos tipos de músicas.

A criança que dança trabalha a musculatura, fortalecendo-a, estimula a coordenação motora, flexibilidade. Além da postura, tem maior consciência corporal, noções de espaço. Ademais, melhora sua integração social. Musicalidade, ritmo e criatividade também estão entre os ganhos. Segundo Bianca Dore, “é nessa faixa que começamos a mexer mesmo com a dança, propriamente dita. Antes é mais uma recreação elaborada, digamos assim.”

Socialização é um dos benefícios da dança

Além de ser uma atividade física, a dança também é uma atividade social. Portanto, as aulas de dança podem ajudar as crianças a melhorar suas habilidades de comunicação, aprender a trabalhar em equipe, desenvolver um maior senso de cooperação e fazer novos amigos.

Exercitar-se

Um grande benefício da dança é que ela é uma atividade altamente física e ao mesmo tempo divertida. Então, o condicionamento físico de seu filho ficará ainda melhor, sem que ele tenha que fazer atividades repetitivas ou entediantes.

Autoconfiança

Quando uma criança aprende e pratica movimentos e posturas da dança, desenvolve maior consciência corporal. Além disso, quem dança está sempre em contato com o próprio corpo, e quando crescemos isso ajuda a nos sentimos mais confortáveis com nossa aparência, nossas dificuldades e até mesmo sentimentos.

A dança incentiva a criança a explorar diferentes formas de expressão. Isso pode ser particularmente benéfico para crianças com deficiências ou que estejam lidando com problemas emocionais significativos.

Quer conhecer nossa escola? Clique aqui.

Boa alimentação na infância

Imagem destacada

Boa alimentação na infância

Quando se trata de uma boa alimentação na infância, os cuidados devem ser redobrados. Portanto, as crianças aprendem pelo exemplo e desenvolvem uma cultura gastronômica de acordo com o estilo de vida dos pais.

Nem todos os alimentos agradam ao paladar. Mas, à medida que crescem, tendem a ficar mais seletivos. Ainda assim, especialistas acreditam ser importante os pais não desistirem de oferecer até aqueles alimentos que os filhos não gostam tanto. Além disso, é fundamental que a criança, ao exemplo dos pais, seja incentivada a comer frutas, legumes e verduras. Portanto, esses hábitos alimentares saudáveis devem ser incutidos desde cedo.

Como ter bons hábitos alimentares se há, em todos os lados, shoppings, outdoors que exibem alimentos do tipo “fast food” com forte apelo entre as crianças? As prateleiras de supermercado são repletas de guloseimas, snacks, alimentos processados, etc. Por isso, esse é um grande desafio que os pais têm de enfrentar. Por fim, o equilíbrio é o melhor caminho, dizem os especialistas. Ou seja, o ideal é comer um pouco de tudo, mas com parcimônia. Saiba mais

Portanto, a alimentação na fase pré-escolar deve conter alguns indutivos para que a criança associe o alimento à brincadeira.

 

alimentação

 

Boa alimentação na infância requer:

Sabor

O argumento da ausência de sabor na alimentação saudável é outro tabu a ser desmistificado. Pois deve ser, necessariamente, saborosa.

 

Variedade

O consumo de vários tipos de alimentos fornece os diferentes nutrientes necessários. Sendo assim, evita a monotonia alimentar, que limita a disponibilidade de nutrientes necessários para atender a alimentação adequada. Portanto, as crianças devem ser expostas a diferentes alimentos, sendo necessária, às vezes, diversas disposições do mesmo alimento para a sua aceitação.

 

Cor

A alimentação saudável contempla uma ampla variedade de grupos de alimentos com múltiplas colorações. Além disso, sabe-se que quanto mais colorida é a alimentação, mais rica é em termos de vitaminas e minerais. Por fim, a torna mais ativa.

 

Harmonia

Essa característica da alimentação se refere, especificamente, à garantia do equilíbrio em quantidade e qualidade dos alimentos consumidos. Consequentemente, alcança uma nutrição adequada.

 

Não é preciso retirar totalmente do cardápio o consumo de doces e gorduras, basta limitá-los. Essa atitude mostra para a criança que esses alimentos não devem ser prioridades na alimentação. A melhor estratégia é substituir os alimentos, como por exemplo, um nugget por um peito de frango. Comece as substituições de forma gradativa criando um costume na alimentação da criança.

Por fim, é importante dispor de todos os tipos de nutrientes desde a introdução alimentar para que seu(a) filho(a) cresça de maneira saudável.

Ficou com alguma dúvida? Clique aqui e entre em contato conosco.