Introdução Alimentar

introdução alimentarChegou a hora! Até os 5 meses de vida os bebês se alimentam posicionados no colo, aconchegados no cheirinho de sua mãe que os tranquilizam. Seja pelo aleitamento materno como pela amamentação com fórmula. Dessa maneira eles se saciam apenas com um único alimento de sabor adocicado e de textura homogênea, o do leite. O pequeno já está com 6 meses e, além do leite materno, pode ingerir outros alimentos. Assim, quando a introdução alimentar se inicia, tudo muda e o bebê é automaticamente posicionado numa cadeira de alimentação. Então tente deixar as expectativas de lado e entenda que o seu bebê irá ter o contato com os primeiros alimentos e pode não ser tanto quanto você esperava!

Portanto lembre-se que o mais importante não é comer, e sim o aprendizado! Aquilo que a criança irá aprender com o contato com os alimentos, sua textura, cor, cheiro e sabor. O bebê ainda não sabe que aquilo é de comer e mata a fome, não é algo imediato. O leite mata sua fome, e é isso que ele sabe. Certamente comer é um ato aprendido e as mães precisaram ensinar seus filhos.

A introdução alimentar deve ser feita de maneira lenta e gradual. Algumas crianças podem estranhar no início e recusar determinados alimentos, o que é normal. Se ela não aceitou, não insista, não force e não agrade. É importante que o alimento seja novamente oferecido em outra ocasião. Conforme informações do Ministério da Saúde, é necessário oferecer um alimento de oito a dez vezes, em média, até que a criança o aceite. Cada criança é única evite comparações e, na dúvida, busque a ajuda de um profissional que possa auxiliar no processo.

Mas, afinal, o que oferecer?

O ideal é oferecer ao bebê uma alimentação variada e rica em nutrientes, tanto macro (proteínas, carboidratos e gorduras) quanto micro (ferro, zinco e vitaminas). Para tanto, é preciso unir representantes dos quatro grupos alimentares principais: hortaliças e frutas, carnes e ovos, cereais e tubérculos e grãos. A composição de todos esses grupos vai permitir que a criança tenha energia, proteínas, sais minerais e as vitaminas necessárias para um crescimento adequado. Até o oitavo mês é preciso introduzir alimentos como ovos, peixes e glúten para criar tolerância e evitar possíveis alergias. Por outro lado, pelo menos até os 2 anos é importante evitar itens como frituras, enlatados, salsicha, refrigerantes, alimentos processados, café, salgadinhos, balas e açúcar adicionado nos alimentos. O sal deve ser usado com moderação, o mínimo possível.

Não se recomenda bater os alimentos no liquidificador para não deixar a comida muito fina nem misturar os grupos. Importante permitir que a criança experimente novas texturas e sabores e aprenda a mastigar. É fundamental que ela tenha uma discriminação do sabor dos alimentos e movimentos de mastigação. Logo após o primeiro mês de introdução alimentar, os pais podem deixar pequenos pedaços sólidos para estimular a mastigação. Perto do primeiro ano de vida, a criança já pode comer a refeição básica da família. Além disso, lembre-se de oferecer água filtrada e fervida nos intervalos das refeições. Também é importante oferecer duas frutas diferentes por dia.

Hoje temos Aulas de Culinária, por mais que parecem um momento de brincadeira são, na verdade, uma hora de muita concentração e aprendizagem. Saiba mais clicando aqui.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *